16 de jun de 2008

Um novo Rattes


Temos um novo membro na família Rattes. Em 6 de julho de 2008, em New Orleans, Estados Unidos, nasceu Gabriel Alexander Rattes, filho de Claudio Erices Rattes, neto de Eliseu Lima Rattes, bisneto de Elídio de Moraes Rattes, tetraneto de Elídio Rattes. Ao Gabriel, muita luz e paz neste mundo.

9 comentários:

leonor rizzi disse...

Olá Gabriel. Benvindo ao Planeta Terra, a qual acabou de chegar. Se foi autorizada sua vinda, num momento em que esta imensa casa está doente e necessitando de mãos abnegadas, é porque você tem tarefa aqui. No carinho e aconchego de seu lar esta tarefa irá materializando-se a medida que você for amadurecimento. Agora, só irradiação e proteção. Nossa família ganhou mais qualidade, só por ter num dos berços do Planeta o ANJO GABRIEL ALEXANDER. Sabia que seus pais foram muitos felizes ao escolher seu nome? Luz e bençãos em profusão novo morador e ao Planeta que lhe serve de berço.

leonor rizzi disse...

Oi, Roberto. Piano a quatro mãos transmite som "sui generi", muito mais colorido, vívido, interdimensional, dada a integração de estilos e percepções. Resulta daí estilo próprio, e da união poderá se transmitir ao ouvinte a sensação de deleite, paz, harmonia. Portanto, muito mais integradora, não é? Gratidão pela participação na grande empreitada de busca das origens de Carmo da Cachoeira, com Manoel Antonio Rates. Ao Anjo Gabriel, que é Rates uma mensagem: é bom que saiba que outros anjos, por ti velam e o mantém hoje no País da Ternura. Que em sua vida haja inspiração, entre tantas, a artística. É aí, e neste setor que está a porta de acesso ao lado intuitivo, presente em todo Ser Humano. Que a inspiração o leve ao reinado transcendente, repleto elementos expressivos. Muita proteção em sua trajetória evolutiva. É pelo que torço aqui, do Sul das Minas Gerais.
Roberto, Campanha-MG, foi um local muito privilegiado em seu passado de Glória. Poderá haver nomes ligados a música que perteceram a família de seus ancestrais, no entanto, com outros sobrenomes. Veja, com o coração, os nome de professores em música de lá: CAMPANHA, CENTRO CULTURAL DA MÚSICA. Cf. site subsídios para a história da música da Campanha - WINDOWS INTERNET EXPLORER."(...) Desde as primeiras décadas do século XIX (...).
Uma última coisa, aliás, já falei demais, mas já que me lembrei, não vou perder a oportunidade. Acaba de vir no painel de minha memória uma situação comum numa tribo indígena. Naquela cultura, ao nascer uma criança era lhe ofertada uma música, composta especialmente para ela. Era a marca de sua identidade e esta a acompanhava a vida toda. Durante "escorregões" dados no decurso de sua vida, um grupo se reunia e, juntos entoavam "SUA MÚSICA, SUA CANÇÃO". Bela e respeitosa fórmula pedagógica de educação, não? Encerrava-se a sessão, sem ser dita uma única palavra de reprimendas. Só recordação. Recordações ... . Não tenho o dom criativo da música, nem da poesia, sou extremamente prática, no entanto, gostaria muito que NOSSO ANJO GABRIEL ALEXANDER TIVESSE SUA CANÇÃO, SUA MÚSICA.

leonor disse...

Roberto. Você conhece a genealogia da família americana "Raythe"? Seu brasão, suas origens, suas raizes? Dentre todas as loucuras, mais uma. Não se assuste, não. A falta de dados leva a gente buscar "chifres" em cabeça de cavalo. Vale o regionalismo?

Anônimo disse...

Primo Roberto, eu só Claudio Rattes, pai do Gabriel. Muito obrigado pela nota do nascimiento de ele. Gostaría de escrever un poco mais, mas o meu portugues e bem ruin. O brigado tambem de ter creado esta pagina sobre a familia Rattes.

projeto partilha disse...

Olá Roberto. Oi Cláudio, não se preocupe com o seu português, não. Aqui a energia é outra, é a da linguagem universal, e que se faz através do coração. Caso queira se comunicar conosco, fale, e do jeitão que seus dedos digitarem estará dito, interpretado e aceito. Tenha esta convicção e tudo será entendido, ok? Gratidão por mais esta contribuição.

Agora com o Roberto e nossa parente MARIA DA COSTA MORAIS, que não é a mulher de MANOEL ANTONIO RATES, mas é uma das nossas. Veja algumas pontuações:
*tutor de seus filhos, Manoel de Souza Dinis (Diniz) que aparece às fls 88, em 03 de setembro de 1785, na Vila de São João del Rei. Nós já conhecemos o Manoel de Souza, da vizinha Fazenda Bom Jardim das Três Pontas e, certamente você se lembrará dele;

*Além de ser previdente, é também "irmã de Francisca Dias, mulher de Francisco das Chagas, como ela mesma diz: "E da minha terça, caso chegue, meu testamenteiro dará a minha sobrinha por nome Rosa Maria Dias, mulher de Francisco Chagas, trinta oitavas, as quais lhe darão depois de grande (...)";

*Tinha bens: "Declaro que tenho empenhado na mão de MANOEL JOSÉ FERROSO um caixilho de ouro que pesa quatorze oitavas (...)";

* A filha Maria, Maria Vieira, morou no Rio de Janeiro: "Local - cidade do Rio de Janeiro. Procuração em 22 de novembro de 1781. Maria Vieira, moradora nesta cidade do Rio de Janeiro (filha da Inventariada MARIA DA COSTA DE MORAIS)";

* Fl 04 do inventário de MARIA DA COSTA DE MORAIS: " Filhos: 01 - Ana Álvares Antunes, casada com Manoel Pinto Neves, (hoje, 1774, viúva); 02 - Antonio de idade pouco mais ou menos de dezesseis anos; 03 - Maria de idade de quatorze anos pouco mais ou menos; 04 - José de idade de nove anos pouco mais ou menos";

*São seus amigos: "Peço e rogo ao senhor Manoel de Souza Pires; Domingos Fernandes Gomes, a Manoel Fernandes Gomes; e ao Capitão Joaquim do Espírito Santo que por serviço de Deus (...)";

* Maria da Costa Morais é filha de "Declaro que sou natural desta Freguesia de Nossa Senhora do Pilar e nela fui batizada e que sou filha natural de ROSA DE MORAIS já defunta (1774);

* Em seu testamento MARIA DA COSTA MORAIS coloca o nome completo de seus filhos: " Declaro que (...) quatro filhos a saber: Antônio José da Silva Lapa, filho do alferes Antônio José da Silva Lapa; outro por nome José Joaquim da Costa, filho de Manoel da Costa Gouveia; Ana Álvares Antunes (Ana Alves Antunes), filha do capitão Brás Alves Antunes, do tempo de solteiro; Maria Vieira dos Anjos, filha de Jerônimo Vieira de Abreu".

* Quanto ao filho José, o inventário deve ter contido alguma rasura, ou outra forma de dificuldade, que a Edriana só conseguiu identificá-lo da seguinte forma: " (espaço em branco) seguido de Capitão Mor, um sobrinho";

* Maria da Costa Morais foi amiga de Ventura Correa Garcia " (...) roguei a Ventura Correa Garcia que este ameu rogo fizesse e com testemunha assinasse (...)";

* Monte Mor - 513$925;

*Em 10 de março de 1778, a órfã Maria, com 17 para 18 anos e por ordem de seu pai Jerônimo Vieira de Abreu foi para a casa da viúva de Pedro Xavier de Gouveia assistente na cidade de Mariana". O José também está, na mesma época em Mariana".

* A compilação foi encomendada a pesquisadora Edriana Aparecida Nolasco. Tipo de documento - Inventário; Ano - 1774; Inventariada - Maria da Costa de Morais; Inventariante - Ana Álvares Antunes; Local São João del Rei.

Motoko disse...

Olha ali, é o meu sobrinho.

Ele é muito lindo!!

Sou Juliana Gonçalves Rattes, Filha de Eliseu Lima Rattes e Irmã do Claudio Rattes.

Muitas saudades dele que está nos USA e com muita vontade de conhecer essa pessoinha aí.

Muito orgulho da nossa família e muito feliz de ter encontrado o seu blog.

E obrigada por essa nota.

leonor disse...

Oi, Roberto. Um dia iluminado a você. Vamos rever nosso arquivo de dados a partir da foto colocada hoje, na primeira página de carmodacachoeira.blogspot.com 27/SET/2008.
Inicialmente postada com o nome de "Casal Veiga Lima de Carmo da Cachoeira" e, posteriormente reformulada por "Antonio Justiniano dos Reis e dona Leocádia Arminda", propõe uma revisão. A genealogia da FAMILIA REIS, Domingos Reis Silva - O patriarca. Seus descendentes, fl.56nos traz a seguinte informação:
"3 - 3 ANTONIO JUSTINIANO DOS REIS, fazendeiro, Fazenda da Serra, Município Carmo da Cachoeira - MG, nascido ao 19 de janeiro de 1846, casado com IDALINA DE OLIVEIRA COSTA REIS, filha de João Batista de Oliveira Costa, nascido aos 10 de maio de 1835 e Eliza Felisbina de Oliveira, nascida aos 02 de setembro de 1839. Filhos:
4 -1 Aristides Justiniano dos Reis, casado com Julieta Lima, Município de Nepomuceno, filha do Dr. Otaviano Lima, advogado e Eliza Batista Lima;
4 -2 João Batista dos Reis;
4 -3 José Justiniano dos Reis;
4 -4 Eliza da Costa Reis;
4 -5 Antonio Justiniano dos Reis Filho (Tonico dos Coqueiros, ancestral de Jorge Fernando Vilela);
4 -6 Basilisa Costa Reis;
4 -7 Gabriel Justiniano dos Reis;
4 -8 Idalina Costa Reis Filha;
4 -9 Mário Justiniano dos Reis;
4 -10 Jacy Justiniano dos Reis;
4 -11 Manoel Justiniano dos Reis;
4 -12 Maria Reis Rezende".

Jorge Fernando Vilela diz: "A foto me é familiar. Ela está colocada numa das paredes da FAZENDA DOS COQUEIROS e corresponde a Antonio Justiniano dos Reis e dona Leocádia Arminda da Costa Lima, meus ancestrais".
Diante desta colocação, talvez tenhamos que rever, os dados contidos na obra supra citada, não nos prendendo somente as referidas citações lá presentes.

Flavio Fritoli Rattes disse...

Oi Primo sou Flavio Fritoli Rattes, Filho de Miguel Rattes (filho de Elidio Moraes Rattes), este deixou os filhos: Riacardo da Costa Rattes, Flavio Fritoli Rattes, Bruno Fritoli Rattes, e Carla Fritoli Rattes, moramos em Jacarepaguá - Rio de Janeiro, em excessão de Ricardo o mais velho que mora em Fortaleza - Ceará.

Tenho um Filho Gabriel F.R.Rattes.

Papai sempre contou muitas hist´rias dos Rattes, adchei este site muito interassante.

Um grande abraço.

Meu email é flaviorattes@hotmail.com

bia disse...

OLA , GABRIEL benvindo ao mundo eu sou uma tia antiga pois fui vizinhA DE SEU AVÓ Eliseu , quando moravamos em Padre Miguel aq no Brasil hj fiquei sabendo de seu nascimento e fico muito feliz em saber q a geração de sua familia continua crescente ; gostaria muito de saber de todos enclusivel de seu avó Eliseu pois tem muitos anos q ñ o vejo se caso ele queira entra em contato comigo pra relembrarmos dos velhos tempos é so mandar um E-mail pra esse endereço biancajesus1000@hotmail.com que asim que eu receber eu entro em contato Rose Mary do Espirito Santo espero resposta, abraços .