1 de fev de 2008

Álbum de família


Tia Lesy, Tio Anaximandro e Gustavo (que, em um auto-avaliação bastante suspeita, disse ser o meu primo mais bonito). Fotografia dos anos 60, provavelmente em Volta Redonda. Já se percebia, àquela época, uma certa "barriguinha" no meu primo mais bonito...

7 comentários:

Cristina disse...

Fiquei surpresa quando o meu primo querido e barrigudo me mandou um email dizendo pra checar o blog. Me deparei com a foto do meu pai e quase cai pra tras. Tenho essa foto guardada no coracao e acho tambem que foi tirada em Volta Redonda.

Gerti disse...

Minhas lembranças da família Rattes, dos primos e tios, quase todas são dessa época e um pouco mais a frente, até os anos 70. Mas, são fortes lembranças, de Petrópolis, Barra Mansa, Volta Redonda e Juiz de Fora.

Anônimo disse...

Olá, sou um descendente da família Rattes, meu avó saiu de casa com sua mãe ainda pequeno, e não temos muitas informações a respeito da família. A família de meu avô é de Pitangui-MG, porém o núcleo ligado a meu avô mora todo em Belo Horizonte, são vários Rattes aqui em BH. Gostaria de saber mais informações a respeito da origem do nome.
Meu Nome é Christiano Rattes Costa e-mail christianorattes@yahoo.com.br.

Um abraço!

leonor disse...

Oi, Roberto. Talvez seja bom que o Anônimo saiba que em Brumadinho, especialmente em Aranha, seu distrito, tem um pessoal "de Rates" muito legal. Fica na estrada BH/Nova Lima. Há questão de dois ou três anos o pessoal estava organizando um encontro da "Familia de Rates". Como não tive mais contato, não sei se o projeto vingou e, se vingou quais os resultados. Distanciei-me devido a buscas em outro setor: ermidas e capelas nas antigas fazendas.O pessoal do Cartório de Brumadinho parece ser amigo da família. Pessoal nota 10. Atenciosos, gentis, interessados. Um bom trabalho de busca e que venham frutos. Eles vão adorar.

leonor disse...

Mais uma informação correspondente Anônimo.Lembre a ele do lado feminino da família tem ligação com nobres paulistas. Pelo racha lá em Sp, alguns pontos do sertão tornaram-se propícios para sua permanencia. O ouro se esgotava, mas os vales e criação de gado surgiam como mercado promissor. O artigo de PAULO C. CAMPOS fala nos Buenos, do qual é descendente. Bartolomeu Bueno da Silva- O Anhanguera seu avoengo, teve que bater em retirada.Alguns vieram para os lados de cá.Encontramos os descendentes, em Rosário de Lavras. Por aqui, Paulo Costa Campos, nosso colaborador.

Juciara disse...

minha bisavó se chamava Ambrosina de Moraes e era filha Guilhermina Amélia Salles Pinheiro e Manoel Gomes Pereira de Moraes.Sou neta de Emília de Moraes Albuquerque e filha de Derly Albuquerque.Foi muito bom ter visto este blog.Meu nome é Juciara,moro na cidade do Rio de Janeiro

Unknown disse...

Nessa foto de família está faltando,Jandyra de Moraes Rattes avó de minha esposa,irmã de Nina,Lygia e Maria de Moraes Rattes.